A gente sonha desde criança com aquele véu beeeem comprido que as princesas usam. Mas aí a gente cresce e vê que tem um monte de novas opções legais. Sei que dá vontade de usar todas e ir revezando durante a festa, mas não é tão simples assim, não é mesmo?

Pra te ajudar com esse dilema, pedimos a ajudinha de uma chapeleira super-talentosa que somos fã: a Bárbara Heliodora. A Bárbara entende tudo do assunto e faz peças incríveis. Olha só as dicas dela:

1. Qualquer noiva pode optar por véu, voilete ou alguma outra peça de cabelo? O que influencia na escolha, tem alguma regra?

A escolha da grinalda e do véu normalmente é feita levando em conta o vestido e também o tipo de cerimônia. Eu costumo dizer que não existe certo ou errado mas que algumas regrinhas nos auxiliam a fazer uma escolha mais adequada ao estilo da noiva. Por exemplo, para uma noiva que vai casar na igreja recomenda-se o uso do véu longo. Porque além de seguir uma tradição religiosa, existe uma questão espacial, ou seja, a noiva irá percorrer uma nave e terá espaço para desfilar um longo véu ou mantilha.  Já uma noiva que vai casar ao ar livre ou na praia, pode adotar um voilette ou um véu curto, que são mais leves e não vão pesar o visual da noiva nem vão arrastar areia ou grama. 

Mas o mais importante é entender que acima de qualquer regra vem o estilo pessoal da noiva que deve sempre prevalecer pois é o que torna tudo mais bonito e genuíno. Portanto se a noiva vai casar na igreja mas sempre sonhou em usar um voilette, porque não? Basta escolher um vestido mais romântico e fluido, com ares vintage que ficam lindos com esse tipo de véu e dizer o seu sim com a felicidade de ter feito a escolha que mais representasse o seu estilo. Essa certeza é o que deixa as noivas ainda mais lindas!

2. Só princesa pode usar a sonhada coroa ou a gente também pode?

Qualquer noiva pode usar coroa mas novamente é importante respeitar o estilo da noiva. O vestido deve acompanhar o visual princesa, recomenda-se o uso de véu e as coroas são mais adequadas em casamentos mais clássicos, com cerimonia religiosa e em horário noturno, devido ao brilho.

Mas a regra de ouro é sempre respeitar o estilo da noiva. Já tive um caso de uma noiva que casou em Trancoso, com um vestido todo de renda renascença e que sonhava em usar uma coroa.Chegamos a um modelo mais rústico, que levava pedras brutas e que funcionou pois atendeu o sonho da noiva e se adequou ao estilo praiano da cerimônia

3. E flores? Dá pra usar em casamentos mais tradicionais durante à noite ou devem ser usadas durante o dia?

As flores são super clássicas e tradicionais e costumam ficar bem com qualquer vestido, excetuando apenas aqueles que já tenham flores aplicadas. São mais adequadas a cerimonias diurnas mas funcionam bem em cerimônias noturnas também. Neste caso costumo sugerir acrescentar uma faixa de cristais que complementa bem o visual e dá um toque de brilho. 

4. Ela pode trocar de peça entre cerimônia e festa? Ou sempre deve usar a mesma até o final?

Pode trocar sim, mas nesse caso é importante a ajuda de um profissional de beleza e lembrar que precisa de um tempo para fazer essa troca. Eu mesma fiz isso (ficou difícil escolher uma só peça 🙂 e já fiz algumas noivas que também optaram por peças diferentes. O importante é a noiva estar feliz e dentro do seu estilo.  O mais comum, no caso de noivas que escolhem peças diferentes, é mudar também o penteado, de um cabelo solto para preso (e assim aproveitar a festa sem risco de parecer descabelada no final).

Em geral tento criar peças flexíveis e que se adequem bem em penteados soltos e presos, evitando essa mudança de acessório mesmo que a noiva opte por uma mudança de penteado entre a cerimônia e a festa.

 5. Madrinhas também podem usar peças de cabelo diferenciadas ou devem ser mais discretas?

Madrinhas podem e devem usar peças de cabeça. Em países que tem a tradição do uso de chapéu como a Inglaterra e a Espanha, as madrinhas usam chapéus e fascinators imponentes e isso auxilia na beleza geral da festa. Aqui no Brasil muitas madrinhas e convidadas tem medo de aparecer mais do que a noiva, o que é uma preocupação compreensível mas um pouco exagerada. Primeiro porque é quase impossível alguém aparecer mais do que a noiva, por mais discreta e minimalista que ela seja, o motivo principal do casamento são os noivos e a noiva está sempre em evidência, seja por ser a única em vestido branco seja pelo destaque na cerimônia e em toda festa que é feita para os noivos.

Assim eu indico e torço para que madrinhas e convidadas sejam cada vez mais corajosas em usar adereços de cabeça pois além de deixá-las mais bonitas faz uma festa mais colorida também. Fico sempre feliz ao receber depoimentos de minhas clientes dizendo o quanto foram elogiadas por seus maridos e também por todos na festa ao usarem um acessório de cabeça. No caso de convidadas e madrinhas indico o uso de chapéus apenas para cerimônias diurnas ao ar livre até as 15hrs. Após esse horário evitamos o uso de abas e o mais indicado são fascinators e casquetes um pouco menores.

6. Se a noiva quer uma peça personalizada, com quanto tempo de antecedência ela deve te procurar?

Costumo pedir um prazo de 30 dias para confeccionar uma peça mas é claro que se a noiva quer algo especial quanto mais tempo melhor pois nesse caso fazemos até 3 a 4 encontros para ajustar e chegar na peça mais adequada. No caso de algo mais exclusivo, uns 2 a 3 meses de antecedência é o ideal. Já fiz peças personalizadas até para noivas em outros países. Nesse caso usamos muito o skype que hoje facilita muito.

A Bárbara atende noivas de todo o Brasil e você pode entrar em contato com ela por email atendimentobheliodora@gmail.com ou pelo telefone (21) 34373802.

Fotos: Tainá Frota – Chá das Duas e acervo da Bárbara.